Horóscopo do dia (2)

Mais um da série de seis poemas de Dana Gioia, dois dos quais traduzi em post anterior.

                            2

 

 

Nada está perdido. Nada é tão pequeno

que não termine voltando.

                                      Imagine

que, quando criança, num dia como este

você segurava uma moeda bem nova e podia

escolher como gastá-la do jeito

que melhor entendesse.

                   Hoje a moeda volta para você,

com a data apagada, as antigas insígnias ilegíveis

A efígie coberta da desbotada laca

de tudo o que foi usado em demasia, passado adiante, e sempre

Valendo um pouco menos do que antes.

Agora ela volta,

e você vai julgá-la desimportante, perdida

nos trocados do bolso como uma coisa a mais

que não vale a pena contar, não vale nada sozinha.

Esse é o erro que você deve evitar hoje.

Você tinha enviado a moeda no rumo de você mesmo.

Segure-a agora nas mãos. Aceite-a como

o pouco que você ganhou hoje.

                            E perceba

que você poderá escolher de novo como gastá-la, mas em troca de menos.